0 Compare Page

Encontre a peça para seu veículo:

Filtro


Henry Ford: O homem que revolucionou o mundo automotivo

Henry Ford: O homem que revolucionou o mundo automotivo

Considerado um dos mais inovadores da história, Henry Ford nasceu em 30 de junho de 1863 no estado de Michigan, nos Estados Unidos. Ford estudou contabilidade, mas desde criança, sempre teve aptidão e paixão por motores. Iniciou na fazenda da família fazendo reparo no maquinário. Após trabalhou como aprendiz de operador de máquinas, mecânico de oficina, engenheiro maquinista e engenheiro chefe.  Por volta de 1896 construiu seu próprio veículo automotor denominado Quadriciclo. Antes da sua grande companhia, montou duas empresas, a Detroit Automobile Company (DAC), e a Henry Ford Company. Após anos de sucesso e inovações, o pioneiro Henry faleceu em Dearborn no dia 7 de abril de 1947, aos 83 anos.

A Companhia Ford

Em 16 de junho de 1903, Henry com outros 11 investidores, formaram a Ford Motor Company. No ano seguinte, Henry foi procurado para a abertura de uma fábrica no Canadá. A Ford entrou com 51% do capital. Acreditando no sucesso do negócio, abriu uma unidade de montagem no Reino Unido em 1911. Em 1918, em uma jogada Henry Ford transferiu a presidência da Company para seu filho Edsel, e fundou outra empresa, Henry Ford and Son. O objetivo era assustar os demais acionistas da Ford Motor Company para que vendessem suas ações. A estratégia deu certo, e Henry e Edsel compraram todas as ações, deixando a família com domínio exclusivo da companhia.

Os dois modelos de mais sucesso da época administração Henry Ford, foram o Modelo T, produzido de 1908 a 1927 e o Modelo A, produzido de 1927 a 1931. Depois do Modelo A, a empresa adotou um sistema de mudança anual de modelo, estratégia criada pela General Motors nos anos 20.

Ford Modelo A

Modelo T

O Modelo T, ou Ford Bigode pode ser considerado o carro mais famoso produzido por Henry Ford.  Apresentado em 1 de outubro de 1908, o veículo trouxe inovações importantes, como o volante no lado esquerdo, motor e o câmbio totalmente fechados, 4 cilindros fundidos em um bloco sólido e a suspensão usava duas molas semi-elípticas. Muito simples de se dirigir e de manutenção barata, conquistou muitos compradores. Com um sólido sistema de publicidade, as vendas subiram rápido. Em 1914 com os aperfeiçoamentos produtivos, o tempo de produção do Modelo T, que era de 12 horas e meia, passou para 93 minutos. Em 1919 o Modelo passou a vir com partida elétrica. O T encerrou sua produção com 15.007.034 unidades.

Ford Modelo T

Salário de motivação

Henry Ford foi um empresário pioneiro ao implantar ações de melhoria para seus funcionários. No dia 5 de janeiro de 1914, passou a oferecer o pagamento de US$ 5 por dia para cada funcionário. O valor chamado de “salário de motivação” diminuiu a rotatividade de empregados, aumentou a produtividade e reduziu os custos de treinamento. Outra ação foi a redução da jornada de trabalho de 9 para 8 horas. Diante essas ações, Henry começou a ser “odiado” por alguns empresários, e após receber ameaças de morte, passou a andar com seguranças.

Inovações propostas por Henry Ford

Henry Ford é considerado por muitos, o revolucionário da indústria. Em 1913 desenvolveu a primeira linha de montagem móvel, diminuindo os preços na produção, e inovando a produção de automóveis. O seu sistema de produção em massa e padronização do maquinário, ficou conhecido como fordismo. Henry ainda criou o sistema de franquias e, conseguiu, com o aumento da produção, abrir lojas da Ford, em cada cidade da América do. Ele ainda é citado pelas inovações trabalhistas que propôs em suas fábricas.

Curiosidades

Após lançar o primeiro carro com motor V8, Henry Ford recebeu uma carta do famoso assaltando Clyde Barrow, agradecendo-o por ter criado um veículo com tamanho desempenho que o permitia fugir da polícia.

Ele está na lista como sétimo homem mais rico de todos os tempos. Após sua morte deixou a maior parte de sua fortuna para a Fundação Ford.

Além dos carros, Ford adquiria uma companhia de aviões em 1925, e desenvolveu o avião Ford 4AT Trimotor.

Gostou desse artigo? Comente qual a próxima história você gostaria de ler aqui.

Ferrari 488

Após quarenta anos da primeira Berlineta V8 da Ferrari, o 308 GTB, o novo modelo 488 veio para inovar a história dos carros de 8 cilindros da montadora.

Lançamento do Ferrari 488

Com estreia no Salão de Genebra, o modelo foi lançado em 3 de fevereiro de 2015, com tecnologias e inovações desenvolvidas na Fórmula 1 e no Campeonato Mundial de Endurance. O Ferrari 488 GTB veio substituir o modelo 458 e marcar o retorno da designação clássica do modelo Ferrari.

Design

Com carroceria projetada para deixá-lo com 50% menos arrasto em relação ao modelo 458. Suas dimensões são 4,56 metros de comprimento, 1,95 metro de largura, 1,21 metro de altura e peso de 1.370 quilos, com distribuição de peso de 41,5% na dianteira e 58,5% na traseira.

Motor

FERRARI-488-02.png

Com motor de 3.9 V8 de 670 cv a 8.000 rpm e 77,4 kgf.m a 3.000 rpm, gerenciado por um câmbio de dupla embreagem e sete marchas com tração traseira. O seu desempenho também é de impressionar. O esportivo pode ir aos 100 km/h em apenas 3 segundos, aos 200 km/h em 8,3 s e atingir a velocidade máxima de 330 km/h.

Ferrari 488 Spider

FERRARI-488-03.png

Em 28 de julho, quase cinco meses depois do lançamento da 488 GTB, a Ferrari lançou a versão do modelo sem teto. Com o mesmo motor, o modelo veio com um teto rígido retrátil de vidro, com três ajustes de posição. Para fechar e abrir completamente a capota demora apenas 14 segundos.

Curiosidades

O 488 GTB já fez a sua passagem pelo circuito de Fiorano e completou uma volta em 1 minuto e 23 segundos, o que é dois segundos mais rápido que o modelo anterior (458).

Na 19ª edição da premiação “International Engine of the Year” em 2017, o motor turbo do Ferrari 488 foi eleito o melhor do ano.

O primeiro exemplar da Ferrari 488 GTB chegou ao Brasil em 12 de novembro, com preço sugerido de R$ 2,5 milhões.

O modelo na Austrália fez tanto sucesso, que já nos primeiros meses de lançamento, a fila de espera do superesportivo chegou a 4 anos.

Conheça a História da Hilux: 1968 até 2019

A sua primeira geração, inaugurada em 1968, tinha um objetivo marcante, abrir um novo caminho para picapes maiores adentrarem o mercado.

Essa proposta foi concluída, criando-se a Hilux, que possui atualmente 5.330 mm de comprimento, 1.855 mm de largura e 1.815 mm de altura. O termo Hilux possui dois significados, o primeiro viria de “alto luxo”, derivando de palavras na língua inglesa como high = alto e luxury = luxo, e o segundo de um coelho selvagem que vive em regiões montanhosas na América do Norte.

Vamos te apresentar as gerações desse veículo, detalhando cada modificação que o fez tornar um veículo dinâmico e versátil.

 

1) Primeira geração da Hilux   

A Toyota criou 4 gerações incríveis do veículo. A primeira foi criada para os modelos mais simplistas das caminhonetes americanas, mas mantinha uma construção americana clássica, com suspensão dianteira por dois braços triangulares e uma traseira com eixo rígido com feixe de lâminas. A carga máxima era de 1.000 kg, sendo oferecido ao consumidor americano, que utilizava o carro especificamente no campo, uma versão com entre-eixos e caçamba maiores.

Com 70 cv, velocidade máxima de 130 km/h, a Hilux primeira geração foi o destaque do mercado na década de 70.

 

Primeira Geração da Hilux

 

2) Segunda geração com melhorias

A segunda geração, criada em 1972, já desenvolveu alguns fatores que incomodaram o consumidor, mas manteve boa parte dos originais de 1968.

Havia agora quatro faróis, o comprimento foi modificado para 4,27 metros no chassi curto e 4,68 m na longa, essa modificação agradou a muitos americanos que utilizavam o veículo para trabalhar no campo.

Além disso, passou de 1.5E 70 cv para 2.0 de 105 cv, auxiliando o consumidor a rodar em rodovias.

 

3) Terceira geração conquistando os jovens

Essa geração conseguiu conquistar os mais jovens. Agora com um tração 4×4, motor diesel, cabines estendidas com 9 centímetros à mais que as gerações anteriores e cabine dupla, que continha duas fileiras de assentos.

 

4) Quarta geração lançada em 1983

A 4ª geração teve uma grande modificação em sua aparência, tornando-se mais robusta, com para-lamas alargados. Os motores ficaram mais simples de 1.6 ao 2.0 de gasolina e o 2.2 e 2.4 de diesel, sendo as opções mais forte equipadas com a tração 4×4.

Essa geração da Hilux foi a que mais destacou-se no mercado, introduzindo a versão Hilux Surf ou 4Runner, atualmente conhecida como SW4.

 

Quarta Geração da Hilux

 

5) Quinta geração importada para o Brasil

Essa picape deu o pontapé inicial para a reabertura das importações. Se você pegou a década de 80 a 90 pode ter visto a mesma nas ruas brasileiras.

Nessa versão o para-lamas do 4×4 possuía 4 centímetros à mais. O motor do 2.0 chegava a 88 cv e o do 2.8 diesel aos 91 cv. O câmbio automático conquistou o coração de muitos mantendo-se juntamente com a tração 4×2

 

6) Sexta geração mudança de fora para dentro

Essa versão ganhou alterações no capô, grade e detalhes, sendo oferecida uma geração que possuía tamanho de 4,69 metros, o único ponto de diferença para a cabine simples e curta para a dupla.

O 2.0 teve uma potência ampliada a 110 cv e o turbodiesel ficou com 91 cv. No Brasil, nossas versões tiveram 3.0 diesel que gerava 91 cv, a versão turbo angariou 116 cv e 32,1 kgfm de torque. O 2.7 da gasolina ganhou 142 cv.

 

7) Sétima geração a maior até o momento

A Hilux 7ª geração cresceu. Ela se tornou a maior das seis versões, sendo que sua cabine chegou a medir 5,25 metros, o motor 3.0 turbodiesel chegou aos 163 cv para compensar o porte, trazendo um toque de elegância para esse “monstro”.

 

Sétima Geração da Hilux

 

8) Oitava geração de 2015

Até o nascimento da Hilux foi percorrido um longo caminho, de descobertas e melhorias para o veículo.

A 8ª versão foi fabricada na Argentina. O seu esquema de chassi manteve-se, sendo separado da cabine. A alavanca de tração agora é acionada por um apertar de botão, o motor, sua base interna e o câmbio, também estão atualizados.

Agora, essa geração conta com um 2.8 turbodiesel, que gera 177 cv e possui 45,8 kgfm de torque e câmbio automático com 6 velocidades.

 

Oitava Geração da Hilux

 

9) A geração atual da Hilux

Um novo visual. Mesma motorização. A líder de vendas em sua categoria está renovada. Há uma abertura maior na grade e detalhes cromados. O para-choque foi remodelado e os faróis de neblina mudaram o formato.

Na parte traseira, as lanternas tem uma nova disposição de luzes e as rodas foram redesenhadas.

A versão mais completa passa a ter banco de couro perfurado e quadro de instrumentos com grafismos atualizados.

Não houve mudanças no motor, seguindo 2.8 Diesel de 177 cv e o 2.7 flex de 163 cv.

 

Geração Atual da Hilux

 

A Hilux é um dos veículos que criou uma história de melhorias exclusivas para seus consumidores, nunca se esquecendo dos seus objetivos principais: criar um veículo versátil e ideal para todas as situações de uso.

O nosso blog está cheio de novidades, não se esqueça de conferir.

loading